Início Sobre Contato Portfólio

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Forçar uma Aplicação do Windows a Usar um Core Específico



São raros os computadores de hoje em dia que não têm mais de um núcleo, conhecidos na expressão inglesa como core. Ao utilizar um processador com as características de multi-core torna-se possível definir nas preferências que certos programas rodem num determinado CPU que nós definirmos.

A verdade é que as aplicações atuais são pensadas no desenvolvimento na sua maioria para tirar partido dos vários núcleos para aumentar, assim, a velocidade de execução e eficiência global distribuindo de forma mais equitativa possível a carga por todos eles. Mas e se pretendemos que uma determinada aplicação do Windows 8 corra num determinado núcleo? Tudo começa no separador Desempenho depois de clicarmos com o botão direito do mouse na barra de sistema e escolhermos o Gestor de Tarefas.

Esta distribuição de carga entre todos os núcleos pode ser uma grande mais-valia. Torna-se verdadeiramente útil, por exemplo, no caso de como alguns dos antigos programas terem sido desenhados na sua arquitectura, ou seja, para funcionarem num só núcleo do CPU. Em alternativa podemos querer que uma aplicação específica seja executada de forma a que os demais cores não se encham de fluxo e permitam um trabalho mais fluído com os demais núcleos, por exemplo, o desfragmentador de disco no Windows ocupa muitos recursos do CPU durante a execução o que leva a uma inevitável lentidão do CPU. Se optarmos por utilizar um núcleo específico podemos manter o normal funcionamento do programa e continuar a fazer outras coisas enquanto o mesmo corre em segundo plano.

Vejamos então como proceder com a alteração dos valores de afinidade de maneira a forçar uma aplicação específica do Windows para usar um determinado CPU. Antes de prosseguir os utilizadores devem ter em conta que que a alteração dos valores de afinidade é uma operação avançada e o facto de ficar mal configurada pode pode causar que as aplicações deixem de correr correctamente.

Assim, ainda no Gestor de Tarefas, temos de abrir o separador Detalhes onde veremos todas as aplicações a correr actualmente, bastando clicar com o botão direito do rato sobre a aplicação que pretendemos alterar o valor de afinidade, como se pode ver na figura abaixo:



Caso ainda não tenha decifrado como abrir a janela do Gestor de Tarefas pode sempre usar a combinação de teclas “Ctrl + Shift + Esc“.

Depois de encontrar o processo pretendido selecionamos a opção definir afinidade. No nosso caso escolhemos o programa do AbelhasBox. Por padrão, cada processo utiliza todos os núcleos disponíveis. Para forçar o processo de usar um core específico basta desmarcar todos os cores que não pretendemos que o CPUs usem e depois clicar em Ok.



Para confirmar mais tarde o desempenho dos núcleos de forma a verificar efetividade e rentabilidade podemos passar para o separador Desempenho e clicar no link Monitor de Recursos Aberto. No separador CPU ver o desempenho de todos os seus núcleos de CPU.



A saber que as alterações que efetuamos são temporárias, ou seja, o processo ou o programa irá utilizar de novo todos os núcleos logo após corrermos de novo a aplicação, logo não existe a preocupação sobre quaisquer mudanças permanentes.
Sabendo alterar a quantidade núcleos do CPU para uma determinada aplicação é tudo uma questão de experimentarmos as várias aplicações de forma a tentar melhorar o fluxo de trabalho e produtividade.
Esta dica foi elaborada com base no Windows 8 e não testada noutros sistemas operativos da Microsoft.

Tutorial retirado nesse site

Início Sobre Contato Portfólio
Copyright © 2013 - 2017 Blog Flávio Dicas